Resenha de uma (ops duas) bitches: Twisted Loyalties (Camorra Chronicles #1) – Cora Reilly

Hey, bitches!

Somos loucas? Sim, absurdamente!
Apaixonadas? Mais do que qualquer coisa.
E, para provar esse ponto, resolvemos postar não uma, mas duas resenhas sobre o NOSSO ( porque ele é NOSSO) Fabiano Scuderi.
Esperamos que curtam essa novidade, e se deliciem com o aperitivo que preparamos para vocês Continuar lendo “Resenha de uma (ops duas) bitches: Twisted Loyalties (Camorra Chronicles #1) – Cora Reilly”

Anúncios

Resenha de uma bitch -O dobro ou nada

Hey, gente! Quem nos acompanha, deve ter visto nosso pequeno surto há uns 15 dias atrás quando @editorabezz nos entregou uma degustação desse livro MARAVILHOSO. Então, se você ficou curioso com quem Mary vai ficar… vai ter que ler o livro pra saber, porque eu só vou te ajudar a ter mais vontade de devorar essa história.

Continuar lendo “Resenha de uma bitch -O dobro ou nada”

Resenha de uma bitch – Corte de Névoa e Fúria – Sarah J Maas

Falar de livros que a gente se apaixona é realmente muito fácil, porque a a gente precisa fechar a comporta das emoções que insistem em transbordar e nos afogar num mar de admiração, respeito e … crush literário. ❤

Se você não terminou de ler o livro 1 ou pior ainda, não leu o livro 1, afaste-se!

Continuar lendo “Resenha de uma bitch – Corte de Névoa e Fúria – Sarah J Maas”

Resenha de uma bitch – Corte de espinhos e rosas – Sarah J Maas

Primeiramente, agradeço as minhas amigas @gisele e @carol por terem me indicado essa trilogia divina, e aguentado todos os meus surtos. Em um momento da minha vida que a realidade me tragou para seu buraco negro, a fantasia de cortes fez com que eu me apaixonasse e redescobrisse a minha lucidez.

Se você acha que vai ler uma resenha tradicional, desculpe decepcionar mas farei uma viagem pelos meus mais novos preferidos, surtando em cada palavra digitada e divagando sobre cada parte que mais gostei…

SINOPSE:

Ela roubou uma vida. Agora deve pagar com o coração. Nesse misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

Corte de espinhos e rosas começa falando de força e determinação, quando nos entrega a pequena Feyre Archaron que não se entregou as adversidades, tendo ainda uma família dependente, ingrata e parasitária. Preciso dizer que o livro me ganhou de cara porque amo quando as mocinhas são guerreiras e não se entregam as obscuridades que a vida joga. Logo nas primeiras páginas, nos é exposto que ela é uma mortal que vive as margens da divisa com um mundo mágico, chamado Féerico.

Tendo que caçar para não morrer de fome e ainda levar algo que rendesse uma boa venda na praça da cidade, Feyre se vê diante de um grande lobo que lhe daria boas moedas, e garantiria não virar o jantar daquele dia. Em um ato de coragem e de muita prática, ela atinge o alvo e o leva para casa.

Mas, a gente sabe que nada pode ser perfeito e nem tão pouco fácil quando mulher já começa o livro lutando. “Mermão” ela é mulherão dona da zorra toda.

Em uma noite, aparentemente tanquila, o protetor do lobo1 morto, resolveu reivindicar a morte do seu amigo e para isso invadiu a cada da nossa heroína, imaginem a minha puta revolta quando o imprestável do pai dela não faz NADA. Ah, gente! Sinceramente acho que ela deveria ter dado o pai e as irmãs para o bicho papão comer. Mas, a garota é um nível acima, altruísta e desprendida e se coloca como oferenda para equilibrar os dois mundos.

A primeira vista, temos um vislumbre da Bela e a Fera, e encontramos aqui algumas peculiaridades semelhantes e PONTO.

Esse não é um conto de fadas, muito menos uma história para corações sensíveis. Feyre acompanha a besta, o grão senhor Tamlim até sua corte e embora com muito medo tenta adaptar-se para que sua família permaneça bem após excursionar algumas vezes com Lucien, o leal amigo e fiel escudeiro da fera. A mocinha se depara com uma sequência de acontecimentos que a levam de volta para a casa da sua família, enviada pelo próprio Tamlim como uma forma de protege-la de uma praga que ameaça destruir Prytian.

Mas, pensem comigo, a mulher volta par auma casa que não é mais a que ela vivia, porque quando Tamlim a levou embora, deixou tudo organizado dando lhe uma história aceitável para recuperar a posição social perdida e o dinheiro para uma vida confortável. Porém, o que ela não esperava era se descobrir paapixonada por quem tinha verdadeiro repúdio.

E posso dizer, sem sombras de dúvidas que o retorno dela – pois é, pasmem… a bicha volta, por livre e espontânea vontade e consegue encontrar o covil do troço uim – é o melhor de tudo. Vai ser uma mistura de todas as heroínas juntas e fez com que eu desse 100 caveirinhas antes do fim.

Se você não quiser nenhum tipo de spoilers, fuja para as montanhas mas não termine de ler essa resenha…

CARAAAA, imaginem a minha ultra mega power revolts, tipo virada no jiraia quando a Feyre faz o acordo para levar o Tamlim de Amaranta, a tal praga que ameaçava acabar com o mundo feerico – mágico – é uma vagabunda malvada que faz qualquer bruxa ficar no chinelo e o pior não é a cobra de salto mas o BABACA DO IDIOTA QUE NÃO FAZ ABSOLUTAMENTE NADA PARA IMPEDIR OU SALVAR A MOCINHA. Pensem num RANÇO, pensaram? Multipliquem por 1000.

Jogada em uma cela, é obrigada a cumprir várias tarefas domésticas e provas de vida ou morte, visitada por Lucien e de certa forma ajudada por ele. Mas, sua visita mais constante é do Grão Senhor da Corte Noturna, a quem chamam de vadia de Amarantha e que ela conheceu lá na casa da fera, antes de ser mandada embora.

Embora ela tenha verdadeira aversão pelo cara, ele salva a vida dela e estabelece uma aliança que os liga de forma íntima e providencial para ajudar nas provas seguintes … afinal, naquele mundo mágico e misterioso, ela era apenas uma mortal.

Já falei de quase tudo, mas uma parte que me deu um ódio gigantesco foi em um determinado evento noturno, o bestial Tamlim possuir uma única oportunidade com a Feyre para tentar fugir ou ajuda-la PORÉM é um porco e tenta fazer o que o seu pinto comanda… ÓDIO

Não me odeiem e nem se deixem contaminar, tirem suas próprias conclusões, e sigam até o final com muita percepção de que nada é o que parece, e apaixonem se por essa história assim como eu.

Resenha de uma Bitch: INSENSÍVEL (Originals #2) – Andy Collins

Hey, Bitches!!!

Vou começar confessando a vocês que Andy Collins me dá medo!! E olha que o primeiro livro que li dela foi o seu primeiro dark romance lançado! Sou estranha por ter menos medo de ler dark romance? Vou sem medo! Continuar lendo “Resenha de uma Bitch: INSENSÍVEL (Originals #2) – Andy Collins”